11/01/2016

Quanto você gasta com sapatos por ano?

Chilling Out With White Sneakers On Free Image Download

Hoje acordei com essa pergunta na cabeça, quanto que eu gastava com sapatos por ano? Foi fácil obter a resposta já que quase todas as minhas compras são online, foi só dar uma pequena busca no meu e-mail e eu já tinha, mais ou menos, uma base de quanto eu gastei durante um ano.

É um pouco assustador, já que eu sou de classe média (baixíssima), então quando a gente soma e percebe o valor, e o que se poderia ter feito com esse valor, dá um choque sabe?!

Eu, que ganho pouco mais de dois salários mínimos por mês, gastei durante o ano de 2014, aproximadamente um mês do meu trabalho apenas com sapatos! É triste, eu sei, bateu uma bad aqui ao saber disso, e o pior é saber que eu nem tenho, ou tinha, tantos sapatos assim, que justifique esse valor tão alto.

E um erro que eu cometia sempre era comprar um novo e doar um velho, achava que assim estava fazendo um bem pra sociedade, mas na verdade eu estava enganando a mim mesma, usando uma desculpinha socialmente correta pra uma atitude incorreta.

Hoje percebo que é muito melhor usar até acabar, e quem sabe doar um novo, do que ficar sempre comprando e comprando, e com isso contribuindo pro trabalho escravo ou pra geração de mais lixo no planeta!

Então colega, quando achar meu projeto de ficar Um Ano Sem Sapatos, doido demais, pega uma calculadora, uma caneta e vá somar todas as suas compras de 2015 com sapatos. O choque de realidade é tão grande que vai te fazer acordar pra vida!

E aí? Quanto você gastou?

Gardenya Barbosa

9 comentários so far

  1. Engraçado que ontem eu estava fazendo as contas de quanto eu gastei com roupas em 2015... Bateu uma tristeza imensa ao descobrir que foram mais de 13 mil reais em roupas... 13 mil reais em roupas!!! Ou seja, poderia ter feito duas viagens incríveis :(
    O pior de tudo é acordar de manhã para trabalhar e demorar pra me arrumar por achar que não tenho roupa! Absurdo!!
    Desculpa o desabafo... mas ou eu mudo, ou não sei o que vai ser!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nega, 13 mil é o que eu ganho por um ano de trabalho, meu Deus, é muita coisa né, o pior é que mesmo a sua realidade financeira te permitindo gastar isso, quando a gente percebe que tem gente que nunca, em em uma vida inteira de trabalho vai ganhar 13 mil reais, bate uma coisa ruim na gente, como se estivéssemos dando valor as coisas erradas né. Eu ainda não somei quanto eu gastei com as roupas, a soma de cima é só de sapato, se eu pôr as roupas acho que dá mais de 3 meses de trabalho. Por isso decidi mudar de vida, e dois projeto que tem me ajudado muito é o Armário Cápsula e o Um Ano Sem Sapatos. Inclusive com o Armário Cápsula acabou essa história de não tenho o que vestir, acordo de manhã e demoro 5 minutos pra me vestir, pois sei tudo que tenho e o que combina com o que. Recomendo esses dois projetos pra vc seguir. É de lavar a alma.
      Bjim -
      #TamoJunto!

      Excluir
    2. Obrigada pela atenção, querida! Seu blog tem trazido muitas reflexões bacanas que eu quero levar pra vida! Vou continuar te acompanhando e ver se eu me animo a entrar nesses projetos!
      bjos

      Excluir
  2. Olá! Nossa, eu tambem estava cometendo o mesmo erro, comprava um novo e doava um mais usado, ou pior ainda doava tudo só pra poder comprar de novo :(
    uma doença né, estou esse ano sem comprar roupas nem sapatos, usar até acabar e vamos em frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Carol, chega de tantas compras desenfreadas, esse ano fiz uma boa compra de blusas em janeiro, aproveitei as promoções e blusas é o que mais estraga né. Então agora só vou comprar blusas/roupas de novo em julho, quero ficar 6 meses. Não vou ficar um ano porque sou dona de casa, tenho filho pequeno e isso estraga muito as roupas da gente, uma gota de gordura com açafrão e adeus blusa, então acho que um ano é puxado, mas 6 meses dá de boa.
      Agora sapatos, vou comprar só de ano em ano, já decidi.
      É isso que vc falou, a gente tem que usar até acabar.
      Boa sorte pra nós!

      Excluir
  3. Eu gasto pouquíssimo com sapatos. Eu já gastei muito com isso, mas o que melhorou foi eu ter passado a comprar de uma marca realmente boa, em vez de escolher um só porque é bonitinho ou está na moda. Porque daí o barato sai caro, a gente tem variedade, mas de porcarias que não duram quase nada. Depois que eu conheci a Bottero, só uso os sapatos deles, porque são super confortáveis e duram muito, são bem resistentes, então eu consigo economizar. Passo tranquilamente com 8 sapatos, no máximo, durante o ano todo. Só compro nas promoções, que chegam quase a 50% do preço. Eu vou me mudar pro Sul, então vou precisar de uma bota decente, vou comprar agora no verão, em vez de esperar os modelos novos. Não me importo de usar uma da coleção passada. Tem gente que liga pra isso, mas meu orçamento não comporta essas vaidades. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa sua ideia é muito boa mesmo, é uma coisa que quero fazer quando voltar a comprar sapatos, quero investir em coisas de melhor qualidade, comprei um scapin vermelho lindo que com menos de um ano de uso ele arrancou o taco, mas nesse um ano eu devo ter usado umas 8 vezes, então é muito pouco tempo de uso pra um sapato clássico que poderia durar uns 5 anos sem sair da moda. Sempre gosto dos modelos da Bottero, mas nunca compro nada por achar caro. Vou repensar meu conceitos sobre isso.
      Bjim

      Excluir
  4. Fica de olho nas promoções da Marisa e da Dafiti. Nunca pago mais do que R$ 70,00 nas sapatilhas da Bottero. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ficar Bia, ainda não posso comprar sapatos por causa do meu projeto, mas a partir de março já estou liberada pra comprar, pretendo dar uma olhada nas coisas da Bottero e o site da Marisa é meu preferido pra compras rsrsrs <3

      Excluir

Olá seja bem vinda aos comentários do blog Depois que você se foi.
Fique a vontade para comentar, então deixe abaixo a sua opinião sincera sobre esse post.
Volte sempre!

Depois que você se foi © . Todos os Direitos Reservados - Por: Gardenya Barbosa.