22/03/2010

Os Amores da 8ª série. Parte II


Depois que dei o meu segundo beijo nós não tivemos mais nada, acho que até a nossa amizade já não existia mais, e eu sonhei tanto com o nosso amor, e ele nunca passou daquele beijo.
Eu sempre fui decidida nas coisas que quero fazer, na verdade sou bem indecisa até o momento em que tomo a decisão, depois de tomar a decisão eu não volto atrás de forma alguma, então quando decidi que deveria esquecê-lo eu parei de ir na escola a tarde e parei de vê-lo.
Como todos sabem o tempo apaga tudo, e ele apagou o que eu sentia por ele bem rápido, e no começo do 4ª bimestre eu já estava afim de outro menino, ele estudava na minha sala e era meu amigo, a gente se dava bem e éramos muito parecidos, ele gostava de fazer palhaçadas e eu também, tínhamos o mesmo grupo de amigos, não sei porque ele me chamou atenção só sei que chamou.
Então comecei a imaginar a gente junto, e imaginei tanto que comecei a gostar dele, foi ai que começaram as brincadeiras da garrafa, verdade ou conseqüência, e eu vi ai a oportunidade de tentar meu terceiro beijo, e foi assim em um jogo bobo de crianças que a gente se beijou e o detalhe e que na hora tinha um monte de amigos olhando, hoje eu consigo rir disso mais na época foi mágico, e eu rezava para aquela garrafa cair em nós dois sempre que ela rodava.


Um dia o pior aconteceu, a garrafa girou e não parou em mim, parou em uma das minha amigas, e como era um jogo ela teve que  dar o beijo nele, pode-se imaginar como eu fiquei, eu queria morrer, e então resolvi parar de jogar, parar de amar, parar com tudo aquilo porque tudo só me fazia sofrer.  E eu comecei a achar que o amor era um bosta, e nós éramos um bando de idiotas vivendo em função do amor.

Postar um comentário

Olá seja bem vinda aos comentários do blog Depois que você se foi.
Fique a vontade para comentar, então deixe abaixo a sua opinião sincera sobre esse post.
Volte sempre!

Depois que você se foi © . Todos os Direitos Reservados - Por: Gardenya Barbosa.