O Tempo passa e as pessoas mudam...


Quando cheguei de volta na minha cidade natal eu achei que seria feliz igual eu era antes de ir embora, achei que nada tinha mudado e que as pessoas seriam as mesmas, que estaria tudo igual só esperando eu voltar. Minha inocência me faz quebrar a cara.
Eu procurei minhas amigas de antes e elas não estavam exatamente como eu pensei que estariam, e eu já não tinha mais o dinheiro que meus pais tinham antes de irmos, me perguntei varias vezes o porque, porque estavam tão diferentes e porque eu não fazia mais parte da turma, foi então que a resposta me veio como um raio que cai do céu, eu agora era pobre, eu não andava mais com roupas de marca e sapatos da moda, eu não tinha mais os materiais escolares mais legais da escola, eu era comum, eu era uma pobretona comum, foi ai que eu me dei conta que antes de eu ir embora eu era igual aquelas meninas eu tratava as pessoas menos favorecidas do que eu como se o mundo não precisasse delas, como se elas fossem insignificantes.
Resolvi me afastar antes de ser expulsa e decidi que começaria do zero mais uma vez, eu não iria voltar para minhas amigas eu iria fazer novas amigas, foi o que eu fiz, e me tornei uma pessoa melhor por isso.

Um dos defeitos das cidades pequenas é que todo mundo sabe tudo da sua vida, se você tem ou não tem dinheiro, se você mora em uma casa boa ou não, elas sabem de tudo mesmo, e todos sabiam que nós tínhamos voltado meio falidos, a gente teve que construir um barraco de tabuas no lote da casa da minha vó até encontrarmos um terreno pra comprar e construir nossa casa, e eu tive que ir pra escola com meus cadernos de supermercado.
Em Palmas ninguém ligava pra roupa que você usava, se era de marca ou de feira, se você levava os cadernos na mão ou em mochilas, se seus cadernos eram bonitinhos com folhas desenhadas ou se eram comuns, aqui todo mundo reparava e repara ate hoje em tudo isso, e eu sofri bastante por me sentir inferior, por me sentir a mosca do cocô do cavalo do bandido.
Eu estava na 8ª serie, e pensava constantemente no dia em que eu havia voltado, na felicidade que eu havia sentido, na certeza que eu tinha de que eu iria ser feliz, como eu fui boba, pensar que a cidade inteira se congelou esperando eu voltar, que todos ainda seriam os mesmos, todo mundo muda, um dia o tempo passa e você e as pessoas que você conhece todo mundo muda. Eu também havia mudado só que eu ainda não sabia, eu agora era mais esperta, menos controlável, sem frescura, eu conhecia o lado ruim da vida, eu sabia que se eu tinha uma roupa de marca pra usar eu podia agradecer a Deus porque eu tinha o que comer todos os dias, minhas ex-amigas não sabiam o que era isso, mais eu sabia.
Eu fiz minhas novas amigas e com o tempo eu fui me tornando o que eu sempre havia sido, eu voltei a ser a Gardenya a menina que é popular na escola e que é boa em teatro e que se veste com estilo. Acho que era assim que as pessoas falavam de mim, a 8 ª série foi um ano difícil no começo, mas depois eu assumi o controle de novo e me dei conta que ser feliz ou não só dependia me mim, e eu queria ser feliz.

2 comentários:

Olá seja bem vinda aos comentários do blog Depois que você se foi.
Fique a vontade para comentar.
Criticas também são bem vindas (desde que seja fundamentadas né).
Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...