10/03/2010

O meu Terceiro amor.



Eu já estava na 7ª série, e ele era um misto de japonês e brasileiro, muito bonitinho, mais graças a deus eu nunca fui de gostar do cara mais popular da escola e ele era só bonitinho e não muito popular, eu conversava com ele e a gente era meio que amigos, eu ainda era inocente na maior parte do tempo, mais meu sonho era dar meu primeiro beijo, e meu primeiro beijo seria com o meu amor, meu japonesinho kuty kuty....
Era assim que eu falava dele, o nome dele era Marcos, e eu me lembro muito bem dele. As vezes eu penso, poxa isso já faz 10 anos e o que será que aconteceu com ele? Onde ele esta? Casado? Solteiro? Morto?
Acho que nunca vou saber! Mas na época eu tinha certeza que em 10 anos nós estaríamos casados e com 3 filhos. O Marcos era uma forma de me esconder das complicações da puberdade, eu sonhava com ele o tempo todo e como todas as minhas amigas já beijavam na boca e eu não, ele era a minha desculpa, eu sempre dizia que tinha que ser com ele e que seria só com ele, eu realmente queria isso, mas a verdade é que eu morria de medo desse dia e como sabia que meu amor era platônico, quem sabe o esse dia nunca chegasse e eu pudesse me livrar disso.
Mesmo assim eu sonhava com o dia em que eu seria só dele, e que eu pudesse abraçá-lo sem medo e sem me “avermelhar”, e quem sabe pegar em sua mão, tocar seu rosto. Esse dia nunca chegou e eu sabia que ele nunca gostou ou iria gostar de mim, e pra piorar começou a namorar com uma das minhas amigas, e sabe o que eu achei disso? Eu gostei! Gostei porque assim ele se aproximou ainda mais de mim, mesmo sentindo uma facada no peito toda vez que ele à beijava, eu queria estar ali, contando minhas piadas e mostrando que eu era legal, quem sabe ate mais legal que a beleza dela.
Por que ser legal foi a única  arma que tive a vida toda, não sou muito bonita, na verdade sou feia pra kct....Rsrsrsr, mais sempre fui a garota legal e popular que conhece todo mundo, não dava pra competir com minha amiga loira de olhos azuis e cabelos lisos, mais eu tinha conteúdo. Eu sabia falar ate de futebol, e ela era o rostinho bonito.
A minha estratégia funcionou um pouco e no final do ano nós éramos amigos e eu podia passar a hora do recreio todinha com ele, eu podia ate tocá-lo, como isso era bom, e no último dia de aula eu cheguei na escola meio triste e disse pra todo mundo que iria embora pra outro estado, que provavelmente eles nunca mais me veriam. Quando o sinal tocou e eu abracei todo mundo dando adeus, peguei minhas coisas e fui saindo pelo portão, lá fora ele me chamou e me disse que iria sentir minha falta. Eu não pensei direito e resolvi arriscar, se não desse certo eu não o veria de novo mesmo, então eu disse:

“Não, você não vai sentir minha falta! Porque quem te ama  aqui sou eu, e eu sim vou morrer de  saudades, porque  nunca te tive,  mas eu sempre fui sua.”

Foi uma coisa muito madura pra uma menina de 12 anos mais foi o que eu senti que devia dizer, eu me lembro disso porque quando cheguei em casa eu escrevi cada palavra no meu segundo diário.  Mas se vocês acham que isso foi a pior parte, estão enganados, a pior parte foi o que ele falou depois que eu disse isso a ele, ele me disse que também gostava de mim, que já fazia um tempo, que me andou ate um recado pela minha amiga  e que ela  disse que eu gostava de outro garoto e foi por isso que ele se aproximou dela e foi por isso que eles começaram a namorar, pra ele tentar me esquecer, eu quis morrer, eu quis gritar, mais na hora em que ele quis me beijar eu não me lembro bem o que aconteceu mais o beijo não pode ser dado. E eu só fiquei olhando pra ele e pensando que se eu tivesse me declarado eu poderia ter passado o melhor ano da minha vida, que se eu tivesse....Mais todo mundo sabe que o “se” não existe. E o nosso amor nunca existiu a não ser no meu coração e no dele. 

3 comentários so far

  1. Ai,que triste!
    Quase chorei :s

    ResponderExcluir
  2. que triste ._.
    acho que toda garota já teve um amor assim!! *-*

    ResponderExcluir

Olá seja bem vinda aos comentários do blog Depois que você se foi.
Fique a vontade para comentar, então deixe abaixo a sua opinião sincera sobre esse post.
Volte sempre!

Depois que você se foi © . Todos os Direitos Reservados - Por: Gardenya Barbosa.