10/03/2010

O meu primeiro BeijoO


Me lembro muito bem da ansiedade do momento, de como eu fiquei confusa e inquieta, foi horrível.
Tudo começou quando eu estava ainda na 7ª série, eu já tinha completado 13 anos e ainda era “bv”, a única da minha sala. Eu sempre tive a mente aberta e sabia que eu só deveria fazer o que realmente tivesse vontade de fazer, mas quando se tem 13 anos e nenhuma experiência a gente acaba fazendo as maiores burradas da vida, já contei anteriormente sobre o garoto de quem eu gostava e da minha melhor “amiga” que começou a namorar com ele.
Esse blog tem que começar ler do final pra entender. (Hehe), Voltando ao beijo, hoje tenho certeza de que foi tudo bem planejado por essa minha amiga, porque foi ela quem botou a maior pilha, me questionando sobre minha virgindade de boca e me jogando pra cima de diversos garotos, como disse sempre fui bem resolvida, pelo menos na maior parte do tempo, então sempre que ela tentava me fazer beijar algum garoto eu saia fora.
Um dia teve uma eleição na escola, em uma feira de artes, o garoto e a garota mais bonita da escola, eu jamais ganharia algo assim, mais minha amiga ganhou, e eu fiquei super feliz por ela, o guri que ganhou fazia a 8ª série e era um ano mais velho que eu, ele era realmente bonito e muito popular na escola, acho que era mais popular do que bonito, mas foi ai que tudo começou, hoje sei que foi tramado mais na época eu nem sonhava o que podia ser, mais um dia do nada essa minha amiga chega em mim e diz que o garoto mais bonito da escola queria me beijar! Eu pensei meu Deus ele é cego ou o que? Mais então todas as meninas da sala ficaram sabendo e me enchendo o saco, me dizendo   o cara mais lindo do mundo e você não quer?
Na verdade eu achava ele bonito também mais eu queria dar o meu primeiro beijo no garoto que eu gostava, não por beleza mais por amor! No fim das contas como o amor estava namorando com minha melhor amiga eu acabei cedendo a pressão e marcamos o encontro para o dia seguinte em uma sala de aula que estava desocupada.
Eu não dormi a noite, pode –se imaginar o que passa na cabeça de uma menina tão nova e inocente ser praticamente forçada pelas amigas a beijar alguém que ela não quer? Foi cruel, é cruel, porque isso aconteceu comigo e  com mais um monte de meninas por aí que só beijaram porque todas as amigas queriam.
No dia do beijo eu cheguei atrasada na aula, na verdade eu queria fugir, sair correndo, mais eu não fiz nada disso, criei coragem e fui pra escola, cheguei lá e todas as meninas me olhando como se aquele fosse meu grande dia, e pra mim parecia ser o último, talvez eu não sobreviveria depois daquilo. Na hora de ir para a sala onde ele estaria me esperando eu precisei de ajuda, ajuda pra não sair correndo , fui praticamente levada, quando entrei na sala ele estava lá, ele era realmente lindo e isso me acalmou um pouco mais quando vi a porta se fechar atrás de mim, meu coração pulou descompassado e eu pensei que teria um infarto aos 13 anos, eu não tive um infarto claro, mas tive a pior experiência da minha vida.
O garoto era mais velho e mais experiente e já veio logo me agarrando pela cintura e me beijando e eu nem fechei os olhos de tão nervosa, e ele me abraçou bem junto dele e colocou a mão no meu quadril, fiquei imóvel sem saber o que fazer e então deixei que ele conduzisse tudo, ate o momento em que do nada ele começou a subir a mão, eu pensei “o que ele esta fazendo? Será que isso faz parte do beijo?”, Um segundo depois percebi o que ele estava afim e que aquilo não fazia parte do beijo, ele queria chegar ate os meus seios!
Eu fiquei mais nervosa ainda e mão dele se aproximava, eu não queria parecer um bebê chorão, mais eu queria a minha mãe, meu deus o que fazer? Deixar? Correr? Bater nele? O quê? Me fiz essas perguntas mentalmente e descobri que não seria capaz de deixá-lo continuar então escolhi a opção bater e correr, dei um empurrão nele e ele se afastou de mim e perguntou o que foi. Eu poderia correr nesse momento mais não conseguia deixar uma pergunta sem resposta, então disse “ você se acha tão bonito pra poder pegar em qualquer parte do corpo de uma garota e ela não falar nada! Mas saiba que eu sou diferente.” Depois disso ai sim eu sai correndo e tropeçando, e meu coração começou a pular feito louco  e eu sabia naquele momento que não queria nunca mais passar por aquilo, que da próxima vez seria por amor, tinha que ser e se não fosse por amor eu nunca mais queria passar por aquilo.
 

Um comentário so far

Olá seja bem vinda aos comentários do blog Depois que você se foi.
Fique a vontade para comentar, então deixe abaixo a sua opinião sincera sobre esse post.
Volte sempre!

Depois que você se foi © . Todos os Direitos Reservados - Por: Gardenya Barbosa.